Para o sexo a expirar

25/08/2009 at 11:10 (Uncategorized)

Para o sexo a expirar

Para o sexo a expirar eu me volto, expirante,
raiz de minha vida, em ti me enredo e afundo.
Amor, amor, amor — o braseiro radiante
que me dá, pelo orgasmo, a explicação do mundo.
Pobre carne senil, vibrando insatisfeita,
a minha se rebela ante a morte anunciada.
Quero sempre invadir essa vereda estreita
onde o gozo maior me propicia a amada.

Amanhã, nunca mais. Hoje mesmo quem sabe?
enregela-se o nervo, esvai-se-me o prazer
antes que, deliciosa, a exploração acabe.

Pois que o espasmo coroe o instante do meu termo,
e assim possa eu partir, em plenitude o ser,
de sémen aljofrando o irreparável ermo.


Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

.Velvet Goldmine.

08/08/2009 at 01:48 (Uncategorized)

Jonathan Rhys-Meyers arrasando.

Velvet Goldmine

Em 1971, o glam rock invade o mundo da música britânica, provocando uma verdadeira revolução, não apenas na música mas também nos costumes da sociedade. O ícone do movimento é Brian Slade (Jonathan Rhys-Meyers), roqueiro que leva garotas e rapazes a pintarem as unhas, usarem batom e explorarem sua sexualidade. Incapaz de lidar com a fama adquirida, Brian forja sua própria morte, com a farsa sendo descoberta logo depois. Anos mais tarde, um jornalista inglês (Christian Bale) começa a investigar seu desaparecimento.

Link permanente Deixe um comentário

.no subject.

08/08/2009 at 00:39 (Uncategorized)

Queria dar.

Não para um qualquer, mas para aquele.

Um dia eis que surge o melhor sexo da minha vida.

Assim como aparece, ele se vai.

Sexo, sexo, sexo.

Isso não é putaria, meu bem.

É a busca interminável de um novo gozo extremamente prazeroso.


Link permanente 1 Comentário

8.

07/08/2009 at 23:49 (Uncategorized)

Link permanente Deixe um comentário