.Maníaco do Parque.

01/04/2010 at 02:57 (Uncategorized)

Em 1998 divulgaram que o grande campeão de cartas da Casa de Custódia e Tratamento de Taubaté, em SP, seria o famoso Francisco de Assis Pereira, o Maníaco do Parque, detido por estupro, assassinato e violento atentado ao pudor de nove mulheres.

Porém, as cartas não eram de violência e repúdio, e sim de amor, escritas por mulheres nunca vistas por ele antes.

E o mais incrível, Francisco casou-se com uma das autoras!

A partir desse fato, Gilmar Rodrigues, jornalista e roteirista de TV, pesquisou durante quatro anos sobre o porquê de uma mulher se apaixonar por condenados por crimes sexuais, e lança agora seu primeiro livro, “Loucas de Amor- Mulheres que amam serial killers e criminosos sexuais”, trazendo ao público um assunto pouco conhecido porém muito curioso.


“As mulheres que se correspondem com o Maníaco do Parque dificilmente falam em sexo. Quanto mais perigoso, sanguinário e sexualmente predador, mais elas desenvolvem uma visão romântica deles” – Gilmar.


A pesquisa engloba mulheres dos mais diversos gêneros, que foram capazes de considerar assassinos e estupradores como objetos de desejo.


“Em vez de encontrar duas ou três respostas diretas para esta questão, elas se multiplicaram em cada caso, cada vida. Em mim sobrou uma profunda tristeza. Um retrato perturbador da solidão e da miséria humana” – Gilmar.


No livro encontram-se cartas amorosas e depoimentos de especialistas, além de contar com mais 30 páginas de quadrinhos feitos pelo desenhista Fido Nesti, da revista New Yorker.

Agora em 2010 está previsto o lançamento da continuação, “Loucas de Amor HQ”.


LOUCAS DE AMOR – Mulheres que amam serial killers e criminosos sexuais
Editora Ideias a Granel
Autor: Gilmar Rodrigues
Ilustração: Fido Nesti

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Ilusão do desejo

31/03/2010 at 10:19 (Uncategorized)

Frases quentes, cheias de tesão.

É tudo o que ouço, é tudo o que leio.

Me arregaça na vontade.

Tremo a alma de tanto gozo.

Suga-me até o rim.


Então esfrio.

Tudo não passa de um sonho,

do teu sonho.

Não me coma com palavras.

Me coma.


Link permanente 1 Comentário

.

31/03/2010 at 01:23 (Uncategorized)

Link permanente Deixe um comentário

.Rodopiar.

29/03/2010 at 23:49 (Uncategorized)

Gemo para um garoto desconhecido

e minha boca dura de censura

boceja de tanto esperar.


Quem diria que o azar estaria no meu cangote,

justo na noite onde tudo pode.

Afinal,

quem mandou pegar o primeiro que viu

pra fazer um “saravá”!


Só falta eu ter de pagar

por um quartinho chinelo

do motel mais perto

e ele nem me fazer gozar.


E olha que ele me pareceu bem apessoado.

Bom ator ele é, isso é fato.

Eu que fui e sou burra

e sempre no fim da noite preciso de alguma ajuda.


Garoto ingrato

mal arregaça minhas pernas

e já terminou o que achei ser um ensaio.

Veste as calças, mal olha pra trás e deixa a porta aberta.


A única dúvida é se dou uma trégua,

ou não desanimo e volto pro bar.

Se for, dançarei como uma louca

e ainda arranjo um macho que me faça gritar.

Link permanente Deixe um comentário

Me bate, baby.

29/03/2010 at 23:14 (Uncategorized)

Hoje presenciei uma polêmica discussão sobre os tapas durante o sexo.

Gosto de ver as mulheres com cara de devassas dizendo que não gostam de nada disso.  Engana-me, tente me enganar, e te dou um tapa no final.

Será tão vergonhoso assim dizer que já levou um tapa? Ou até mesmo que bateu?

“Não gosto de melancia, nunca comi.”

Leva um tapinha, conversamos depois…


Havia uma mulher crente, ia todos os domingos na igreja.. ela era noiva, cheia de não me toque.

Essa mulher tinha um amante, na hora do sexo implorava por palavras chulas e tapas onde forem, como forem. As vezes gostava de ser amarrada, as vezes aparecia com os fetiches mais loucos.

Dizem que é fato, eu acredito.

Link permanente Deixe um comentário

Karnak.

02/03/2010 at 21:41 (Uncategorized)

Ouvi dizer que um ator famoso foi no Templo de Karnak quando era novo, e, após passar um tempo com os olhos vidrados nos desenhos de orgia egípcios, foi até uma das salas do Templo e se masturbou.

Link permanente Deixe um comentário

.Conversas soltas pelo universo.

20/02/2010 at 23:29 (Uncategorized)

B. diz:

olha só, se tu tivesse um cara com o melhor sexo oral, e um talento absuuuuuuurdo com os dedos tu te importaria dele ter pau pequeno?
hahahaha

A. diz:

sim
HAHAHAHAHAHAHA
isso depende.. vai de mulher, eu PRECISO de um BOM pau
e de ótimos dedos.

C. diz:

Tem vezes que não consigo pensar em olhar um pau com medo q seja pequeno.

B. diz:

é q encontrei os melhores dedos e o melhor sexo oral num cara de pau pequeno hahah
mierda

A. diz:

eu entendi. mas pequeno qto?
é bom pra chupar, pq daí tu pode por todo na boca sem problemas
HAHAHAHA

C. diz:
sabe qual o segredo? é a paixaaao por ver uma mulher gozando
então eles se dedicam, sabe

B. diz:

É EXATAMENTE O Q ACONTECE COM ESSE CARA Q SAÍ
ele tem prazer em ver a mulher ter prazer
de uma forma absurda
isso é tao raro

A. diz:
como pode né

C. diz:
tipo, ja transei com caras tri e de pau enorme
e nao foi nem 10%
pq pensam neles, querem gozar e deu

Link permanente Deixe um comentário

Quem é o gostosão aqui?

16/12/2009 at 02:24 (Uncategorized)

Sou eu! Sou eu! Sou eu!

Hahahahaha

Amei!

Link permanente 2 Comentários

Para o sexo a expirar

25/08/2009 at 11:10 (Uncategorized)

Para o sexo a expirar

Para o sexo a expirar eu me volto, expirante,
raiz de minha vida, em ti me enredo e afundo.
Amor, amor, amor — o braseiro radiante
que me dá, pelo orgasmo, a explicação do mundo.
Pobre carne senil, vibrando insatisfeita,
a minha se rebela ante a morte anunciada.
Quero sempre invadir essa vereda estreita
onde o gozo maior me propicia a amada.

Amanhã, nunca mais. Hoje mesmo quem sabe?
enregela-se o nervo, esvai-se-me o prazer
antes que, deliciosa, a exploração acabe.

Pois que o espasmo coroe o instante do meu termo,
e assim possa eu partir, em plenitude o ser,
de sémen aljofrando o irreparável ermo.


Link permanente Deixe um comentário

.Velvet Goldmine.

08/08/2009 at 01:48 (Uncategorized)

Jonathan Rhys-Meyers arrasando.

Velvet Goldmine

Em 1971, o glam rock invade o mundo da música britânica, provocando uma verdadeira revolução, não apenas na música mas também nos costumes da sociedade. O ícone do movimento é Brian Slade (Jonathan Rhys-Meyers), roqueiro que leva garotas e rapazes a pintarem as unhas, usarem batom e explorarem sua sexualidade. Incapaz de lidar com a fama adquirida, Brian forja sua própria morte, com a farsa sendo descoberta logo depois. Anos mais tarde, um jornalista inglês (Christian Bale) começa a investigar seu desaparecimento.

Link permanente Deixe um comentário

Next page »